Página 5 - 01pagina

Versão HTML básica

Turistas gostam de ver a cultura local nos mercados
A RE falou com Manuel Sobral consultor do projeto Oliaromas que é o eco-agente açoriano das velas aromáticas a
partir da reciclagem e que ganhou recentemente o investimento dos sharks portugueses.
Região Económica (RE) - Como
surgiu a ideia da Oliaromas?
Manuel Sobral (MS) - A ideia da
Oliaromas surge da necessidade de
valorizar o que é dos Açores e de
Portugal dando realce a produtos
tradicionais acrescentando produ-
tos únicos e inovadores.
RE - Porque a escolha deste
nome?
MS - O nome surge da junção do
apelido Oliveira com a palavra
aromas para realçar a componente
olfactiva do projecto.
RE - O que considera que traz de
novo ao mercado regional?
MS - A Oliaromas traz de novo
ao mercado regional a inovação,
substituição de importações e ex-
portação de produtos com matriz
Açoriana e Portuguesa.
RE - Como tem sido o feedback
do mercado regional?
MS - O projeto Oliaromas tem
funcionado com o passa palavra
no mercado regional sendo mais
conhecido em Portugal continen-
tal e estrangeiro e recorrendo as
redes sociais.
RE - São eco-agentes de um pro-
jeto patrocinado pelos sharks
portugueses, como se pode refle-
tir na prática?
MS - Somos eco-agentes nos
Açores de um projecto português
premiado em vários pontos do
mundo que consiste no fabrico de
velas aromáticas a partir da reci-
clagem do óleo e azeite reciclado.
Os sharks portugueses investiram
a cerca de 15 dias com a intenção
de internacionalizar em maior es-
cala aumentando a visibilidade da
marca e do conceito.
RE - Em que se baseia a filosofia
das velas?
MS - A filosofia das velas tem sub-
jacente a reciclagem no seu concei-
to associado a velas duradouras,
ecológicas e aromáticas. Podem
ser feitas em família, são divulga-
das nas escolas e em eventos.
RE - Tem outros produtos reco­
nhecidos a nível nacional?
MS - Temos produtos reconhe-
cidos por várias gerações como a
pasta medicinal couto, chocolates
regina, como o mel de urze Casa
da Costeira, que acabou de ganhar
a medalha de ouro em Portugal, o
atum Santa Catarina que ganhou
recentemente novos prémios, os
carapaus em óleo vegetal prémio
agricultura e pescas.
Na parte do artesanato a Oliaro-
mas tem exclusivos com fabricante
de Fátima, tem nas malas artesa-
nais como parceiro uma empresa
portuguesa premiada em termos
nacionais e internacionais.
Representa para os Açores o azeite
sumos,vinho,mel do consagrado
produtor D´’Origem.
RE - Porque escolheram o mer-
cado de Angra para a Vossa loca­
lização?
MS - A escolha de Angra do
Heroísmo tem a ver com o realçar
da matriz Açoreana do projecto.
O projecto tem vários convites
para mercados em Lisboa, Porto,
Toronto e outras ilhas dos Açores.
Foi escolhido o Mercado de Angra
do Heroísmo devido ao concurso
que foi aberto para as bancas e
lojas e no sentido de revitalizar o
mesmo e porque o centro comer-
cial natural dos povos é a Praça.
Muitos turistas gostam de ver a
cultura local nos mercados.
RE - Quais os projetos futuros?
MS - Os projectos futuros passam
a curto prazo pela presença em
feiras nacionais e internacionais,
o fabrico de sabonetes, fabrico de
malas artesanais e o lançamento
de um perfume português com
origem nos Açores.
O reforço da linha aromática para
a casa produzida artesanalmente.
Implementar a 3ª fase do projec-
to de formação profissional com
cursos que ainda não existem nos
Açores com parceiros de prestigio
nacional e internacionalmente.
29 DE MAIO DE 2015 | JORNAL REGIÃO ECONÓMICA AÇORES
5
ENTREVISTA