Página 13 - 01pagina

Versão HTML básica

Fica sem dinheiro a meio do
mês? 10 dicas para equilibrar
as contas pessoais
Se é daqueles que tem dificuldade em gerir o orçamento, a
Escola Profissional Profitecla vai realizar no próximo dia 4
de junho, um workshop gratuito de Literacia Financeira, em
Coimbra. O objetivo é dar aos portugueses competências de
gestão de ferramentas pessoais e familiares.
Para os que não têm a possibilidade de se deslocar a Coimbra,
a especialista Sandra Henriques, formadora da Galileu, aponta
as 10 dicas para melhor gerir as suas finanças.
1. Elabore o seu planeamento financeiro.
Assim, fica
a saber com antecedência, das necessidades que irá ter de
dinheiro. No planeamento financeiro devem ser contempladas
as estimativas das Despesas e dos Rendimentos previstos para
o ano seguinte.
2. Controle as entradas e saídas de dinheiro.
Só desta
forma é que sabe quanto gasta realmente com cada tipo de
despesa. Sabe qual o montante que gasta em café, durante o
ano? E sabe quantos dias completos tem de trabalhar somente
para pagar o seu consumo de tabaco anual? Acredite que se vai
surpreender com os valores...
3. Registe todas as saídas de dinheiro.
Agrupe as despesas
por tipo (p. ex.: alimentação, habitação, viatura, saúde,
educação, vestuário, lazer, etc.) e registe-as num mapa de
despesas. Desta forma terá uma noção de onde gasta o seu
dinheiro, e assim, poderá definir valores máximos a gastar em
cada tipo de despesa. Existem aplicações informáticas que
permitem o registo diário dos gastos, mas uma folha de papel e
uma caneta podem fazer o mesmo efeito.
4. Pague a dinheiro todas as compras.
O simples facto de
ter acesso a crédito fá-lo gastar, em média, 20% mais do que
gastaria se não tivesse acesso a dinheiro fácil. Tome atenção
que quanto mais facilidade há no acesso ao dinheiro, maior é a
taxa de juro cobrada.
5. Pague a totalidade das dívidas dos cartões de crédito.
A melhor forma de usar estes cartões sem promover a
acumulação de dívidas é usufruir do período de crédito sem
juros, até 50 dias, e pagar os extratos na sua totalidade.
6. Pare de pedir dinheiro emprestado.
Se já se encontra
endividado e continua a cometer o mesmo erro de pedir
dinheiro emprestado, o resultado será uma enorme dívida da
qual dificilmente se livrará.
7. Pare de tentar impressionar os outros.
Não é necessário
comprar tudo o que os seus amigos compram, ou uma televisão
igual à do vizinho, nem o último modelo de telemóvel que o
seu colega de trabalho tem. Compre apenas o que realmente
precisa e sempre dentro das suas possibilidades económicas.
8. Esteja atento para potenciais situações de
endividamento:
a) Está a pagar a crédito bens de primeira necessidade?
b) Está a usar créditos para pagar outros créditos?
c) Só está a pagar o mínimo exigido nos cartões de crédito?
d) Os cartões de crédito estão perto do limite?
e) Tem saldo negativo na conta ordenado?
f) Os créditos já ultrapassam o seu orçamento?
9. Procure ajuda.
Uma vez verificada a impossibilidade de
cumprir, deve procurar ajuda junto de entidades reconhecidas
e credíveis. Existem soluções legais que permitem às
pessoas recuperarem-se economicamente através de planos
de pagamentos, e em alguns casos, até mesmo o perdão
das dívidas, mas existem prazos e condições que devem ser
cumpridas e o facto de manter uma situação de incumprimento
não abona a favor do devedor. O momento para procurar ajuda
não é quando se encontra em incumprimento mas quando tem
consciência que está ou vai ficar impossibilitado de cumprir.
10. Crie uma poupança.
É de extrema importância ter uma
poupança para situações de emergência - a taxa de poupança
mínima recomendável corresponde a 10% das despesas
mensais. É conveniente que esta almofada de segurança
tenha um montante correspondente a sensivelmente 6 meses
de despesas para se conseguir fazer face a imprevistos que
venham a ocorrer como deixar de receber o ordenado ou uma
situação de desemprego. Este dinheiro deve ser aplicado em
produtos de baixo risco que estará sempre a crescer, dando
segurança para alguma eventualidade.
Joana Vasconcelos procura co-
laboradores temporários para o
atelier da artista em Alcântara,
Lisboa.
O pedido de colaboração na pági-
na do Facebook da artista, sendo
que os interessados terão de apre-
sentar a sua candidatura o mais
tardar até quinta-feira dia 21 de
maio, até às 19h.
A colaboração frisa o anúncio é
temporária (1 a 2 meses) “em re-
gime de prestação de serviços”.
Disponibilidade a partir de dia 25
de maio, “aptidão para a realização
de trabalhos manuais, preferen-
cialmente na área da eletricidade”
e “dinamismo e capacidade para
trabalhar em equipa” são os requi-
sitos exigidos aos candidatos.
O local de trabalho é o atelier da
artista em Alcântara, Lisboa.
Os interessados devem enviar o
seu CV ou manifestação de in-
teresse para o seguinte contacto:
joana.abrantes@joanavasconcelos.
com.
29 DE MAIO DE 2015 | JORNAL REGIÃO ECONÓMICA AÇORES
13
EMPREGO
O Grupo Multipessoal vai ofere-
cer uma formação especializada a
mulheres desempregadas. As mu­
lheres irão receber ferramentas e a
confiança necessária para enfren-
tar o mercado de trabalho.
Esta formação irá permitir às mu­
lheres aprenderem a usar novas
técnicas para procurar emprego e
dicas práticas para situações con-
cretas como uma entrevista de
emprego.
“O Grupo Multipessoal vai colo-
car todo o seu conhecimento e
experiência ao dispor de mulheres
desempregadas. Todas as pessoas
devem ter ferramentas que lhes
permitam ter hipóteses de sucesso
no mercado de trabalho.” afirma
Alexandra Medeiros, responsável
pelo programa de responsabili-
dade social da Multipessoal.
Esta ação surge na sequência de
uma parceria com a instituição
Dress For Success Lisboa, uma as-
sociação que ajuda mulheres com
baixos rendimentos a obter a sua
independência económica.
O Grupo Multipessoal irá apoiar
esta instituição através da inclusão
das mulheres nos processos de
procura de trabalho e oferecendo
algumas dicas práticas para en-
frentar as entrevistas de trabalho.
Esta iniciativa decorre no âmbito
do Programa de Responsabilidade
Social Empresarial do Grupo Mul-
tipessoal que levou a que 80 co-
laboradores da empresa tivessem
feito uma intervenção na aldeia de
Vale da Pinta, no ano passado.
Multipessoal oferece formação a
mulheres desempregadas
Joana Vasconcelos procura
colaboradores para atelier
em Lisboa
RE/DINHEIRO VIVO
RE/DINHEIRO VIVO
RE/DINHEIRO VIVO