China foi o maior investidor em energias renováveis em 2014. Superou a Europa e os EUA

É o maior consumidor mundial de carvão, mas também foi quem mais investiu em energias renováveis em 2014: cresceu 33,9%. Ficou à frente da Europa e dos Estados Unidos.

A China continua a ser o maior consumidor mundial de carvão, mas foi também o que mais investiu em energias renováveis em 2014, superando a Europa e os Estados Unidos, indica um relatório divulgado hoje na imprensa oficial.

O investimento chinês em energias hídrica, solar e eólica cresceu 33,9% em 2014, para 83.300 milhões de dólares (74.259 milhões de euros), mais do que os 57.500 milhões de dólares (51.259 milhões de euros) contabilizados na Europa e dos 38.300 milhões de dólares (34.143 milhões de euros) dos Estados Unidos, assinala a Renewable Energy Policy Network for the 21st Century, patrocinada pela ONU.

No seu último relatório anual, aquela organização salienta que, pela primeira vez em quatro décadas, o crescimento económico mundial (3%) não foi acompanhado por idêntico aumento nas emissões de dióxido de carbono.

A utilização de energias renováveis cresceu em 2014, mas poderia ter crescido ainda se os subsídios de mais de 550.000 milhões de dólares (490.297 milhões de euros) atribuídos anualmente aos combustíveis fosseis e nucleares fossem eliminados, diz o relatório.

Mas “apesar do espetacular crescimento da capacidade instalada das energias renováveis em 2014, mais de 1.000 milhões de pessoas, ou 15% da população mundial, ainda não tem acesso a eletricidade”, salienta também o documento.

Quase dois terços da energia consumida na China (64%), a segunda economia mundial, é proveniente do carvão.

Fonte: Observador

Partilhar