Algarve aposta em novas rotas para alargar época turística

A abertura de novas rotas aéreas com destino a Faro que permitam alargar a época turística aos meses intermédios é a estratégia em que os responsáveis do setor estão a apostar para trazer mais turistas e combater a sazonalidade.

"As rotas que temos estado a tentar abrir -- e temos aberto algumas - são rotas que alargam a estação alta, alargam nos pontos médios da estação para termos mais voos que, em princípio, trarão mais clientes para o Algarve", explicou à Lusa o presidente da Associação de Turismo do Algarve, Carlos Luís, responsável pela promoção externa do destino.

A estação alta decorre de junho a agosto (sendo o pico em julho e agosto), mas a estação turística abrange os meses de maio a setembro. Os pontos intermédios são abril/maio e setembro/outubro.

Madrid (Espanha), Aberdeen (Escócia), Cardiff (Reino Unido), Estugarda (Alemanha), Colónia (Alemanha), Lyon (França), Nantes (França) e Memmingen (Alemanha) são as novas rotas já em funcionamento neste momento em regime de baixo custo, regular ou 'charter'.

Os dados oficiais indicam que durante os meses intermédios aquelas rotas têm atraído mais ingleses, alemães e franceses comparativamente a turistas de outras nacionalidades, explicou Carlos Luís.

"Este ano, temos um aumento médio nas ocupações relativamente ao ano anterior de cerca de 2% até ao final do mês de abril, mas, no mês de maio, tivemos uma subida de 5,2%, o que significa que os grandes aumentos vão-se dar precisamente entre abril/maio e setembro/outubro, nos dois meses laterais à chamada época turística", disse à Lusa o presidente da Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA), Elidérico Viegas.

De acordo com os dados fornecidos pela Associação de Turismo do Algarve (ATA), até ao final do ano deverão estar a funcionar nove novas rotas diretas para o Algarve, além de três novas operações de escala e reforço de 12 outras rotas.

Carlos Luís explicou que, com estas 24 ligações ao aeroporto de Faro, passa a existir a possibilidade de receber mais 157.861 passageiros por ano, além dos quatro milhões habituais.

"A hotelaria tem vindo a apresentar, gradualmente, números melhores ao longo dos últimos dois anos e, este ano, espera-se também que a estação de verão do Algarve esteja mais composta, porque vai ser alargada com este número de voos nas épocas intermédias", sublinhou o presidente da ATA.

Sendo o Aeroporto Internacional de Faro a principal porta de entrada de turistas estrangeiros na região, a criação ou reforço de rotas que facilitem a deslocação à região é vital e tem vindo a merecer investimento da Região de Turismo do Algarve, do Instituto do Turismo de Portugal e da ANA -- Aeroportos de Portugal, através de incentivos às companhias aéreas.

"Comparativamente ao ano anterior, temos um aumento da procura desde o início do ano de 3,2% em termos acumulados e isso, naturalmente, resulta do transporte aéreo", observou Elidérico Viegas.

Referindo que várias rotas para o Algarve têm sido canceladas no final do prazo em que recebem incentivos para o seu lançamento, alegando falta de rentabilidade, aquele responsável defende que a estreia de novas rotas seja acompanhada de uma estratégia de promoção nos mercados turísticos-alvo que possa ajudar a afirmar os voos em questão.

Fonte: Noticias ao Minuto

Partilhar