Lagarde inflexível: Atenas tem de pagar até ao fim do mês

O FMI aceitou no início de Junho que o governo grego adiasse o pagamento de 300 milhões de euros para 30 de Junho e hoje lembrou que não haverá mais tolerância.

A Grécia decidiu no início de Junho não pagar os 300 milhões de euros que devia amortizar junto do FMI, juntando as quatro amortizações que tem de fazer este mês numa única tranche de 1.600 milhões de euros, a ser paga no final do mês.

O governo grego alegou na altura que acreditava, até essa data, num acordo com os credores.

Hoje, em dia de reunião de eurogrupo e com a possibilidade de acordo longe, a presidente do FMI avisa que não haverá mais tempo. "O prazo de 30 de Junho é definitivo, não há qualquer disponibilidade para adiar o pagamento", avança Lagarde de acordo com a Reuters, que diz esperar "sinceramente" que a Grécia não entre em default.

De acordo com o calendário original, Atenas teria de pagar no início do mês 300 milhões de euros ao Fundo, aos quais se seguiriam mais três amortizações: 340 milhões no dia 12; 560 milhões no dia 16; e 340 milhões no dia 19.

Após esta decisão, as datas para essas amortizações desaparecem e a Grécia terá, em vez disso, de pagar 1,6 mil milhões de euros no dia 30.

A presidente do FMI defendeu ainda que Atenas leve a cabo uma "reforma inteligente" do sistema de pensões para que seja possível um acordo com os credores.

Fonte: Económico

Partilhar