Um rumo para São Miguel


Opinião de Gonçalo Costa

Pouco mais de dois  meses depois  da chegada das Low Cost ao aeroporto de Ponta Delgada , já se respira  um novo ar na economia micaelense .

Ok, são boas noticias ,  o  turismo sem  duvida  faz parte da equação, mas não chega  para resolver o grande problema  desta nossa linda ilha,  chamado  desemprego.

Há que pensar em novas soluções, alias o problema  já não é novo... 

Nos finais do século XIX a ilha de São Miguel estava numa situação algo semelhante aos tempos atuais . Depois do famoso “ciclo da laranja",  São Miguel, encontrava-se numa encruzilhada . Apesar de se ter acumulada alguma riqueza ,embora apenas nas mãos de alguns, não se sabia qual o  caminho a tomar .

Por “sorte” o negocio da  laranja alem da  riqueza também criou uma elite empresarial com algum empreendedorismo, saber e ligações ao comercio internacional.

Graças à iniciativa de alguns empresários micaelenses, um conjunto de varias novas atividades, até ai completamente desconhecidas nos Açores, vieram dinamizar  a economia da ilha de São Miguel.

Estamos a falar da introdução da cultura do chá, do tabaco, da beterraba, do ananás e também da correspondente criação de uma industria transformadora, entretanto criada a jusante para o tratamento destes novos produtos,  modificando  completamente a estrutura económica da ilha , um novo ciclo se abriu...

Esta pequena reflexão sobre a nossa historia poderá ajudar-nos a encontrar um novo rumo para a economia da nossa ilha.

Na verdade o “ciclo do leite” está a terminar ou pelo menos a diminuir a sua importância (as quotas de leite acabaram) .

Há a acrescentar a este facto a crise económica atual, o desemprego e a nossa dependência das importações nomeadamente de produtos alimentares .

Talvez seja a altura de começarmos a refletir sobre o que fazer para melhorar o nosso futuro.

Em que novos “produtos “ deveremos apostar ?

Turismo, pescas, agricultura, “mar”, serviços... há que estudar e escolher dentro de cada área uma ou varias possibilidades de novas atividades  económicas.

Esperemos que as novas ligações  aéreas não tragam apenas turistas mas também novas oportunidades de negocio,novos mercados e "massa  critica  "  para encontrarmos  um novo rumo para São Miguel...

Partilhar