António Nanques

António Nanques

Sócio-gerente da empresa

 

Sociedade de Comércio de Produtos Químicos e Farmacêuticos, LDA

Canada dos Folhadais, 12-A
Apartado 113
9701-902 ANGRA DO HEROÍSMO

Telefone: 295 206 940    Fax: 295 206 949
e-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

 

  1. EVOLUÇÃO HISTÓRICA…

O fundador da empresa Nanques Farma foi António Fernandes Gil Nanques, durante o ano de 1983, como empresário em nome individual. A decisão de investir no sector farmacêutico, surge intimamente relacionada com o seu percurso pessoal e profissional.

Tudo começou em 1958, quando é contratado pela Farmácia Oliveira, sita em Angra do Heroísmo, realizando aí diversas tarefas como colaborador interno.

Manteve funções relativamente indiferenciadas até que, por reconhecimento das suas capacidades e profissionalismo, lhe foi proposto iniciar, a 3 de Setembro de 1961, o Registo de Prática, para a obtenção do título de Ajudante Técnico de Farmácia, pela Direcção Geral de Saúde, o que consegue em 1965.

Após dois anos de exercício como Ajudante Técnico de Farmácia, ingressa no exército em 1967 e frequenta o Curso de Sargentos Milicianos. Ainda durante o curso, foi destacado para o Laboratório Militar de Produtos Químicos e Farmacêuticos (LMPQF) em Lisboa e, em Agosto de 1969, é mobilizado para Angola, sendo colocado na delegação do LMPQF de Luanda.

Esta fase influenciou, de forma determinante, o seu percurso profissional e empresarial futuro, pois proporcionou-lhe a oportunidade de trabalhar sobre a orientação de profissionais farmacêuticos de excelência e apreender diversos conceitos como competitividade, nível de exigência, empreendedorismo, qualidade e novos conceitos farmacoterapêuticos, que estimularam a sua criatividade e aumentaram a sua segurança no meio farmacêutico.

O seu excelente desempenho e empenho conduziram ao seu convite para Adjunto do Chefe de Serviços Comerciais do Laboratório Militar e a receber Louvores do Director da Sucursal do LMPQF e do Comandante da Região Militar de Angola, por mérito e préstimo profissional.

Outro facto que importa referir são as frequentes visitas de delegados de informação médica que recebe, e que lhe permitiram reunir um conjunto de contactos, cujo apoio irá ser determinante na tomada de decisão de iniciar à sua empresa.

Em Outubro de 1971 regressa aos Açores e volta a ocupar o seu lugar na Farmácia Oliveira, numa época em que o trabalho da indústria farmacêutica se encontrava em clara expansão na Região. Nessa altura os representantes da indústria farmacêutica começam à procura de parceiros comerciais que os representem nas diversas ilhas do arquipélago, inclusive na ilha Terceira. 

  1. O NASCIMENTO DA EMPRESA…

A distribuição de medicamentos nos Açores foi, durante muito tempo, realizada como segunda actividade. Assim, os “distribuidores” eram essencialmente pessoas que trabalhavam em farmácias, empresários em nome individual ou empregados por conta de outrem, que nada tinham a ver com o ramo, mas que eram indivíduos conceituados na sua terra.

Na década de 70, eram raras nos Açores as empresas dedicadas exclusivamente ao armazenamento e distribuição de produtos farmacêuticos.

Em 1983, António Nanques aceita a sua primeira representação, os Laboratórios Bioty, depois de ter sido convidado para o efeito não só pelo dinamismo que demonstrava ao balcão da farmácia, mas também pelas suas boas referências, fruto dos contactos anteriores do Laboratório Militar, tanto em Angola como em Lisboa. Com experiência no ramo farmacêutico, decide criar a sua empresa, dedicada exclusivamente à comercialização e distribuição de medicamentos, constituindo em nome individual, a António Fernandes Gil Nanques, que ficou sediada no rés-do-chão da sua moradia pessoal, no centro da cidade de Angra do Heroísmo.

Dois anos depois, já contava com outras duas representações, ambas de laboratórios bem posicionados no mercado: a Upjon e o Euro-labor (actual Grunenthal). É nesta altura que, devido ao elevado volume de trabalho, que pretendia de qualidade, deixa o seu emprego na Farmácia e passa a dedicar-se exclusivamente à actividade grossista.


 Fig.1: Fachada da antiga sede da Nanques Farma (rés-do-chão).

  

  1.        UMA TENDÊNCIA DE CRESCIMENTO…

De modo a incrementar a promoção dos produtos que representa, inicia um trabalho de apoio às empresas junto das classes médica, farmacêutica, de enfermagem e dos ajudantes técnicos de farmácia. De modo poder dedicar mais tempo às actividades promocionais, contrata uma colaboradora como fiel de armazém.

Em 4 de Janeiro de 1985 consegue o Alvará para Funcionamento de um Armazém de Produtos Especializados, o n.º 2/A da Região Autónoma dos Açores, emitido pela Secretaria Regional dos Assuntos Sociais da Direcção Regional de Saúde e que equivale à actual Autorização para o Exercício da Actividade de Distribuição por Grosso de Medicamentos de Uso Humano e de Medicamentos Veterinários.

Em Maio de 1990, os seus dois filhos, António José Nanques e Carlos Miguel Nanques, associam-se à empresa, colaborando no desenvolvimento das actividades associadas ao seu negócio, constituindo-se uma sociedade comercial por quotas, com a denominação social Nanques Farma, Sociedade de Comércio e Produtos Químicos e Farmacêuticos, Lda

Em Setembro de 2002, de modo a manter a qualidade ao nível dos serviços prestados e a excelente colaboração com a Indústria Farmacêutica, muda de instalações, para um novo edifício, com uma área superior a 700m2.

 
Fig. 2: Actuais instalações da Nanques Farma 

A nova sede foi idealizada pelo próprio António Nanques e inspirada em alguns aspectos da estrutura das sedes das empresas que representava, para cumprir dois grandes objectivos:

  1.        Rendibilizar e facilitar o trabalho quotidiano, minimizando as dificuldades decorrentes das limitações na estrutura física da sede anterior, e
  2.        Reunir as condições necessárias que possibilitassem a implementação das directivas europeias das boas práticas de distribuição.  

Para além das zonas de armazenagem devidamente equipadas, foi dada especial atenção a zonas de serviço, nomeadamente a uma sala de formação com moderno equipamento audiovisual (com 30 lugares sentados), a um edifício autónomo de apoio à informação médica e refeitório.

        

  Fig.3: Armazém de produtos comercializáveis          Fig.4: Edifício para informação médica e refeitório 

Com esta medida, a empresa pretendeu ainda promover uma imagem de qualidade e inovação junto das empresas que representa, mas também junto daquelas que se deslocam à ilha, no sentido de estabelecerem novas parcerias comerciais.

  

  1.        UMA APOSTA NO PIONEIRISMO E NA INOVAÇÃO…

No desenvolvimento do seu negócio, António Nanques procurou sempre manter o pioneirismo na sua actividade de acompanhamento das empresas que representava. Assim, prestava diversos serviços que iam desde a entrega de literaturas e de amostras, à organização de reuniões médicas e de outros eventos, fomentando o bom relacionamento com todos os profissionais de saúde. 

Explorando esta lacuna por parte das empresas concorrentes, conseguiu diferenciar-se, estabelecer um posicionamento definido e fomentar uma relação de proximidade, que faz com que os profissionais de saúde na actualidade, procurem a sua empresa em variadas circunstâncias, o que reforça cada vez mais o seu posicionamento no mercado. 

Por outro lado, investiu num avançado sistema de informação computorizado, actualizando de forma constante todo o software que utiliza, de modo a acompanhar a evolução informática das empresas representadas, facilitando a comunicação e as trocas de informação com os parceiros comerciais. 

A Nanques Farma tem também realizado uma forte aposta na elaboração de uma base de dados actualizada, utilizada para apoio ao seu trabalho de suporte à informação médica. 

Mantendo uma política de diferenciação, a Nanques Farma é ainda a única empresa na Ilha Terceira com instalações construídas de raiz para a actividade que pratica, sendo a única com capacidade para realizar formações nas suas instalações com os profissionais de saúde, as quais são prática regular.


 Fig. 5: Sala de formação 

Foi também a primeira empresa a ter um Director Técnico farmacêutico, que orientasse a empresa na realização da sua actividade, de acordo com normas de qualidade e conhecimento técnico dos produtos que representa, fomentando assim uma colaboração distinta de todos os seus concorrentes, aos seus clientes e fornecedores.

A empresa aposta na organização e diversificação de eventos que, segundo o sócio-gerente da empresa, é responsável por cerca de 15% das vendas. 

A empresa procura também promover a sua imagem, prestando apoio e patrocinando algumas iniciativas, nomeadamente a formação de profissionais de saúde, ligas de beneficência (ex.: Liga dos Amigos do Hospital de Angra do Heroísmo, Liga dos Diabéticos, etc.) e iniciativas de âmbito turístico local, tendo sido um dos patrocinadores de um livro sobre a ilha Terceira. Na continuidade da sua estratégia de divulgação, a empresa figura também no livro de Actividades Económicas da Região. 

A Nanques Farma faz ainda questão de possuir viaturas de distribuição e caixas de transporte de medicamentos identificadas com o seu logótipo. 

Quanto à estratégia a nível associativo, é membro da Groquifar, a Associação de Grossistas de Produtos Químicos e Farmacêuticos. Por outro lado, António Nanques foi um dos fundadores da Mesa de Armazenistas da Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo.

Da parte da Nanques Farma verifica-se também uma preocupação no estabelecimento de parcerias, se possível, com laboratórios inovadores e melhor cotados a nível nacional.